Páginas

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Apenas um desejo... / Just one wish...



Apenas um desejo...

Ah, como eu queria que o amor fosse um conto de fadas.
Sei lá, queria que meu final feliz chegasse.

Queria que a minha história fosse escrita
Num livro daqueles, tipo com a capa dourada
E meu nome bem grande lá na frente.

Queria que os reinos existissem,
Queria dançar num baile.
Ou apenas ter minha vida simples
E modesta numa casinha d'um vilarejo.

Ah, como eu queria que as fadas fossem reais.
Queria ter direito a um pedido. Apenas um.
Mas elas não são.
E alguém vem seqüestrando meu sonho
Fazendo com que a luz desapareça.

Ah, como consigo escrever tanto sobre amor
Se nem conheço esse sentimento?
Como se pode viver assim?
Como se vive apenas na capa de um livro?

Queria apenas que me deixassem escrever minha história.
Queria que um de meus poemas criasse vida.
Que um de meus amores saltasse dos meus escritos
E fizesse parte do meu ser.

Mas como, ainda, não é tempo de sonhar,
Prefiro escrever os amores que não vivi.
Quem sabe assim não consigo descobrir
A verdadeira forma de amar.

Robert Gregoor


Just one wish...


Oh, how I wished that love was a fairy tale.
I got not my happy ending.

I wanted my story was written
In a book, kind with a gold cover
And my name really big up front.

I wanted the kingdoms were real.
I wanted to to dance at a ball .
Or just take my simple life
And in a modest house of the village

Oh, how I wished that the fairies were real.
Wish I had a right to request. Just one wish.
But they are not real.
And someone is hijacking my dream
Causing the light disappears.

Ah, how I write of love, if I do not know what feeling is this?
How can i live like that?
As i live only on the cover of a book?

I just wanted to let me write my story.
I wanted that one of my poems take life.
Who one of my loves to jump of my writings
And was part of my being.

But as yet, there is no time to dream
I prefer to write the loves that have not lived.
Who knows still can not find
The true form of love.



Robert Gregoor

Um comentário:

  1. Este poema está perfeito ,ele consegui tocar lá no fundo.Parabéns

    ResponderExcluir